Viagem ao Peru!

Nossa aventureira dessa semana é a gaúcha Renata Candemil, 25 anos, advogada, que nos conta tudo sobre sua viagem ao Peru! :)

Para onde? Peru.

Rota? Lima – Cusco – Machu Pichu – Cusco – Lima

Ponto turístico imperdível:
O parque de Machu Pichu, por óbvio;
O vale sagrado, caminho de Cusco para Machu Pichu, é encantador;

– Em Lima, o shopping Larcomar, no fim de tarde, a vista de cima para o pacífico é incrível e tem restaurantes muito bons;
O centro de Lima é lindo, lembra muito uma praça européia;

– A “Calle de las pizzas”, uma pequena ruela em Miraflores que tem pizzarias e boates. Vale a pena conferir uma noite de salsa peruana!

Achado? Restaurante Punto Azul, para experimentar o famoso Ceviche, típica comida Peruana feito de peixe branco cru em processo de cozimento no ácido do limão. De todos os Ceviches que conheci, elegi o do Punto Azul o melhor. Indico o “Ceviche Mixto” com pimenta separada!!! Esse prato contém um líquido que dizem ser afrodisíaco…

Vale a pena conferir:

Para os jovens que buscam diversão, indico o Boulevard, no litoral de Lima. Trata-se de um espaço construído entre os diversos condomínios particulares, já que não há uma cidade no litoral. No Boulevard encontram-se muitas lojas, restaurantes, supermercado, boates e hotéis. Inclusive há hotéis que promovem festas na sua piscina central, iniciando-se no meio da tarde e estendendo-se até a madrugada! Foram festas inesquecíveis!
Em Lima há também o boêmio bairro Barranco, com restaurantes típicos, pubs e boates muito boas!

Momento inesquecível? Admirar Machu Pichu. Interagir, conviver e conquistar amizades com os peruanos, pois são as pessoas mais humildes, alegres e hospitaleiras que já conheci. Andar de transporte público em Lima, e o pouso do avião em Cusco, pois, de cima, a cidade parece ser menor do que uma razoável pista de pouso!

Se prepare:

– Se prepare para o clima seco de Lima, a cidade que nunca chove! Nos raros dias que garoa, o transito e as pessoas se comportam como se estivesse caindo o mundo!

– Em Cusco não conte com o cartão de crédito e tenha muito cuidado ao sacar dinheiro para que o caixa eletrônico não engula o seu cartão. Isto pode ser o caos!

– Se prepare para experimentar comidas verdadeiramente exóticas, temperos que só se encontram no Peru, é uma experiência à parte e que deve ser explorada!

– Se prepare para sofrer um choque cultural no trânsito, onde todos usam a buzina no lugar do cinto de segurança! E para quem está pretendendo se utilizar dos transportes públicos, a dica é quebrar paradigmas e curtir a experiência.

Meu depoimento:

Fui convidada para participar de um projeto social, realizado pela AIESEC, em Lima – Perú, onde morei durante um mês.  Minha estada não foi em hotel, mas na casa de uma família Peruana de classe média alta. Foi uma experiência muito rica, que me proporcionou, além de tudo, conhecer muito bem os costumes peruanos.

Logo no primeiro dia sofri um choque cultural, ficando assustada com o trânsito e a loucura da cidade. Era muito diferente do que eu já havia vivido ou imaginado na América Latina, então me deparei com o desafio de me adaptar àquela realidade, já que iria morar um bom tempo lá e precisaria saber me virar sozinha. É diferente para quem vai a turismo, mas hoje indico a todos que tenham essa experiência de pegar um transporte público em Lima.

Lima é muito interessante pelos contrastes que apresenta. Se pensamos que a desigualdade no Brasil é grande, ficamos surpreendidos ao conhecer o Peru, ou até mesmo os demais países latinos-caribenhos. Os casebres nos morros são quase assustadores, da forma em que estão amontoados, enquanto que cassinos luxuosos estão espalhados pela cidade. Shoppings com as marcas mais caras do mundo, restaurantes de redes internacionais, talvez desconhecidos no Brasil, hotéis em construções modernas, etc., com todos os serviços oferecidos pelas pessoas que moram naqueles casebres, lá em cima do morro!

Ainda assim, Lima não tem mendigos, não tem fome, não tem alguém sem um teto. Aliás, os Peruanos ficam apavorados e com sentimento de indignação quando vão ao Brasil e conhecem os mendigos!

Acho que o Peru foi o lugar que mais fez eu me dar conta de que a cultura de um povo não se resume ao seu dialeto, comida, tradições, modo de se vestir ou o jeito de realizar tarefas, por exemplo, mas que se trata de algo muito mais íntimo. É a maneira de ajudar, de valorizar algo ou alguém, de se interessar, de se preocupar com algo, e de lidar com desapontamentos ou problemas.

O povo é muito humilde, no sentido mais bonito. Se você interagir com o povo da forma que eu fiz, talvez você também sinta o choque cultural de uma forma muito positiva.

Galeria de Fotos:

2 comentários

  1. You are my breathing in, I own few blogs and infrequently run out from to post .

  2. Que saudade! Eu vivi durante um ano em Cusco!!! Lindo D++++++++++++++++!!!

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: