Crítica: “Celeste e Jesse Para Sempre”

Celeste e Jesse são melhores amigos desde o colegial. Não se desgrudam, estão presentes um para o outro em todos os momentos, dão sermões de mãe, abraço de irmão e tem aquelas piadinhas internas e brincadeiras idiotas que só grandes amigos têm. Só tem um pequeno detalhe a mais no relacionamento dos dois: eles estão à caminho do divórcio. O casal age como se o casamento tivesse sido uma tentativa válida e mantém a amizade, que é o que mais importa, intacta. Mas a vida não é tão simples assim e eles estão prestes a descobrir isso.

O longa é protagonizado por Rashida Jones e Andy Samberg, dois atores que fazem parte da nova geração de comediantes americanos: um grupo ainda jovem que mostra ao mundo além de muito talento e competência na atuação, uma capacidade artística também como escritores. A versatilidade aparece em roteiros de filmes com todo o tamanho de orçamento e sempre com muita personalidade. Nesse seleto clubinho eles costumam fazer parcerias e trabalhar juntos, nele se incluem também John Krasinski, Jason Segel, BJ Novak, Mindy Kalin e Kristen Wiig.

Dessa vez é Rashida quem assina, em um trabalho incrível juntamente com seu ex Will McCormack (também ator e no elenco). O texto é marcado por uma história de verdade, com diálogos, personagens e situações completamente verossímeis e fáceis de se relacionar. Assim como em 500 Dias Com Ela, é essa veracidade o mais encantador de Celeste e Jesse Para Sempre. Felizmente mais e mais filmes assim têm aparecido nos cinemas, o que faz pensar que uma nomenclatura apropriada para esse tipo de filme deveria ser criada, afinal, nomeá-los como comédia romântica ou drama, apesar de ter características dos dois, não lhes faz a mínima justiça.

Além do roteiro, os atores garantem que o filme passe longe de ser um dramalhão, um romance banal ou aquela comédia de sempre. Andy Samberg é o exemplo de como o filme poderia ter ficado com um humor forçado ou exagerado, mas consegue estabelecer uma medida certa. O ator é famoso por suas caras e bocas e performances exageradas no programa Saturday Night Live, mas em sua performance como Jesse usa de um humor mais sutil e uma comédia mais contida, demonstrando seu verdadeiro potencial como ator.

O elenco conta ainda com Elijah Wood, interpretando o colega de trabalho de Celeste, gay assumido que ainda tenta descobrir quais as piadas e quais os momentos mais adequados nos padrões da sociedade para que se mostre descontraído e adequado ao mesmo tempo. No filme, além de conselheiro, ele é o personagem para quando se precisa daquela piadinha aleatória. Sem precisar ser o foco da trama, mas ainda marcando presença, Elijah tem o dom para escolher papeis nos filmes mais diversos e mais uma vem acerta na sua escolha. Emma Roberts faz a pop star Riley, também relacionada ao trabalho de Celeste, que chega para infernizar um pouco mais a vida da protagonista, mas tem muito pouco desenvolvimento na trama.

Uma das questões tratadas na história é a rigidez de Celeste e as barreiras contra o mundo criadas por ela. Grande profissional e independente em todos os sentidos, sem perceber, ela evita qualquer tipo de contato emocionalmente mais forte e sentimentalista. Há uma fina linha entre saber cuidar de si e não deixar ninguém se aproximar verdadeiramente, este é o empasse que a perturba e que com certeza muitas mulheres se identificarão.

É esse tipo de abordagem que mostra que o longa é feito para o público que realmente vive em 2012. Essa afirmação pode ser estranha, mas isso quer dizer que você não irá encontrar em Celeste e Jesse Para Sempre os clichês e a previsibilidade vistos no cinema há anos, mas sim uma linguagem atual, tanto no texto quanto em sua estética. Desde sua abertura, feita por diversas fotos do casal em momentos especiais e cotidianos em montagem rápida e dinâmica, referência clara ao mundo cheio de Instagram, Instaphoto, Flickr e derivados, até as problemáticas das relações possíveis de hoje.

Celeste e Jesse Para Sempre está agora no Festival do Rio e provavelmente poderá ser visto também na Mostra de Cinema de São Paulo. Nos cinemas de todo o Brasil, infelizmente, o filme só chega em novembro, mas já deixem anotado na agenda! ;)

Dica: é daqueles que é melhor segurar a curiosidade e não assistir ao trailer, que tira boa parte da graça do filme.

2 comentários

  1. […] de levar vocês também aos cinemas! Para nosso primeiro sorteio de ingressos escolhemos o filme Celeste e Jesse Para Sempre, um dos nossos queridos e favoritos deste […]

  2. […] de levar vocês também aos cinemas! Para nosso primeiro sorteio de ingressos escolhemos o filme Celeste e Jesse Para Sempre, um dos nossos queridos e favoritos deste […]

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: