Crítica: “Paranorman”

Animação infantil com toques macabros, mas sem o nome de Tim Burton no meio. Este é ParaNorman, longa da Laika Entertainment que estreia nesta sexta, dia 7.

Dos mesmo criadores de Coraline, Chris Butler (direção e roteiro) e Sam Fell (direção), ParaNorman também utiliza do sobrenatural como foco da trama, que se passa em um ambiente bem fora dos padrões. Dessa vez o protagonista é Norman, um garoto fã de histórias de terror e monstros nada bonitos que tem o poder de ver fantasmas e conversar com eles. Considerado um estranho na escola, Norman obviamente é alvo de piadinhas constantes e vive recluso. Em casa, a situação não é muito diferente, seu pai incompreensível e sua irmã mais velha pentelha, Courtney, não facilitam sua vida.

A cidade onde Norman vive é o local da lenda sobre uma bruxa que, por ter sido condenada no século XVIII por feitiçaria, amaldiçoou a cidade e prometeu um dia ressuscitar os mortos e se vingar da população. Como uma boa cidade pequena americana, seus moradores se aproveitam dessa lenda para atrair turistas e faz dela seu ganha pão, possuindo referências, estatuas e, principalmente, lojas com o tema, espalhados por toda a cidade. Com esse ambiente com um visual digno de Dia das Bruxas, desde o início do filme o espectador já é inserido no cenário levemente macabro e muito divertido do filme.

Para ajudar nas tiradas cômicas ao longo do filme são inseridos os personagens Neil, outro desajustado da escola, e seu irmão mais velho e rato de academia, Mitch. Também donos de boas gags, Courtney e o buller Alvin, completam o time que entra sem querer na aventura de Norman para ajudar a cidade a se livrar da maldição da bruxa.

Feito em massinha e stop-motion, a animação segue o estilo diferenciado já estabelecido em Coraline. Não apenas o gênero das histórias é similar como as cores, traços e ritmo de ação, fazem com que os filmes sejam comparativos e chega a fazer pensar que Coraline e Norman poderiam dar as mãos e sair pelo mundo, felizes com suas estranhices adoráveis.

Referências e sátiras a clássicos filmes de terror estão dignamente presentes – para a alegria dos pais – e mostram que ParaNorman, além de tudo, é uma homenagem aos filmes do gênero, em sua versão infantil protagonizada pelo garotinho que tem tudo para ser o mais novo nerd querido e fofo do cinema.

7 comentários

  1. Esse filme deve muito legal!

    1. É bem legal, sim. Vale a pena conferir! ;)

  2. Luciano Augusto · · Responder

    Esse filme é bem legal mesmo, com um tema adulto que faz repensar a maneira de viver e muito bom para as crianças super indicadoooo

  3. […] Frankenweenie ParaNorman Piratas pirados! Detona […]

  4. Os zumbis chegam ai umcidadão pergunta o que faremos agora?
    “Mulher com espingarda”responde: Atira na cabeça! morri de rir…

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: