Entrevista: André Torquato

Como trazer um pouquinho do mundo dos musicais para vocês nunca é demais, dessa vez o Funny Girl conversou com o ator André Torquato, quem atualmente interpreta Adam (ou Felícia se você preferir), uma das drag queens da super produção Priscilla, Rainha do Deserto, em cartaz no Teatro Bradesco, em São Paulo.

Mega talentoso, André já foi um dos Von Trapp em A Noviça Rebelde, um jovem prodígio em Gypsy e uma alma prestes a se render ao evil em As Bruxas de Eastwick. Olha só o que ele conta sobre tanto trabalho e sobre todo o glamour de Priscilla:

01. Começando do começo, quando você sentiu pela primeira vez que o palco era seu lugar?

Eu comecei a cantar muito cedo, tinha sete anos quando a música despertou em mim. Cantava em corais infanto-juvenis, em festas de família, em alguns recitais no colégio, mas a primeira vez que eu senti que o palco era minha segunda casa foi em um espetáculo chamado Disney para Piano e Voz 3, um show de músicas da Disney que um grupo de amigos fez em Brasília. Eu tinha 13 anos e cantei uma música do Corcunda de Notre-Dame, aquele momento marcou minha vida e eu senti que nunca mais sairia do palco!

02. Teatro musical está em sua melhor fase até agora no Brasil, mas nem sempre foi assim…você já teve um plano B de carreira?

Não. Nunca tive. As pessoas acham isso loucura, que é um mercado muito cruel e que se você não tiver uma outra opção vai acabar sem emprego. Eu prefiro acreditar que se eu me dedicar inteiramente ao que eu quero, me esforçar sempre no crescimento e tentar ser o melhor que eu puder, nunca faltarão trabalhos.

Com 17 anos, em "Gypsy"

03. O que você aprendeu com cada personagem que fez até agora?

A gente sempre aprende um pouco com cada um. Um grande presente na vida de qualquer ator é poder explorar a cabeça de outras pessoas. Sempre há uma transformação depois de estudar e interpretar um personagem e isso é maravilhoso, estamos em constante mudança e crescimento.

04. Apesar de já ser craque no teatro musical, esse é seu primeiro protagonista. Qual o peso desse cargo?

É uma responsabilidade muito grande, pois por mais que eu tenha feito outros personagens secundários, nunca tive tanta responsabilidade em contar a história para o público. Fazer com que eles realmente entendam o que está sendo transmitido no espetáculo. Fiquei muito nervoso, ansioso, aflito. Mas estou me divertindo muito e espero que as pessoas que estão assistindo curtam tanto quanto eu!

05. Sabemos que é um trabalho árduo e de superação diária, quais são seus maiores desafios?

Nosso maior desafio no Priscilla é fazer com que a história seja contada para as pessoas que estão assistindo ao espetáculo. Num show como o Priscilla, é muito fácil se esconder atrás de grandes números, dos figurinos, do ônibus e do brilho, mas nossa querida diretora Tânia Nardini nos lembra todo o dia que isso tudo perde valor se a história não for contada corretamente. Então, lutamos todo o dia para que o espetáculo não seja só divertido e sim comovente e transformador.

André como Felícia

06. Quantos figurinos você tem em “Priscilla”? Como se acostumar com a loucura que são essas trocas durante a peça?

Tenho 18 trocas de figurino. Nunca vi tanta roupa na minha vida e mais, tanta roupa incrivelmente maluca! O problema não são somente as trocas, mas o que a gente troca. Não estamos falando de calça e camiseta, mas sim de botas plataforma, espartilhos, vestidos, um macacão de lantejoulas e muita maquiagem!! Nós montamos o espetáculo muito rápido, o processo de ensaios durou dois meses, mas estávamos com o espetáculo montado em 3 semanas, depois só repassando e melhorando. Quando chegamos ao teatro e começamos a ensaiar com os figurinos, foi um desastre! Eu achei que não ia dar conta, que aquelas trocas nunca fossem funcionar. Mas depois de fazer a mesma troca umas cinco vezes, você (e os camareiros, peruqueiros e maquiadores) começa a entender o mecanismo e fazer tudo mais rápido. Hoje em dia já dá pra tomar uma água entre as trocas, mas ir ao banheiro? Nem pensar! [risos]

07. Qual sua música favorita do espetáculo? Tem algum outro hit que você adicionaria à trilha?

Difícil… Amo quase todas! Mesmo! Mas se eu pudesse colocaria Last Dance da Donna Summers! haha Só pra o público dançar mais ainda!

08. Alguma característica que você e o Adam tenham em comum?

Acredito que o Adam tem uma certa imaturidade que é muito parecida com a minha. Ele acha que o mundo tem que ser do jeito que ele quer, mas não é assim que funciona. Esse “faço o que eu quiser, na hora que eu quiser” nem sempre é bem-vindo e acho que eu tenho um pouco disso também.

09. Já pagou um mico muito grande nos palcos ou em uma entrevista?  Tem que contar!

Sabe que não… Juro. E olha que não é mentira porque eu adoro rir de situações ridículas da minha vida. Fica pra uma próxima!

10. Se você pudesse escolher qualquer pessoa do mundo musical para cantar um dueto no palco, quem seria e com qual música?

Sutton Foster, sem pensar duas vezes. E já tenho a música também, “You’re The Top” de Anything Goes! Sou fascinado pelo trabalho dela, pude vê-la no palco e é sublime! Incrível! Cantar com ela seria um sonho virando realidade!
  

E aí, pessoal, curtiram? A gente adorou!

Mês passado conversamos com o André na coletiva de imprensa de Priscillaconfira aqui como ao vivo ele também é super simpático, além de vídeos dos números Go West, Say a Little Pray e I Will Survive!

;)

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s