Crítica: R & J – Juventude Interrompida

Com a melhor das aproximações entre plateia e palco que um teatro pequeno e de circuito alternativo pode proporcionar, R & J – Juventude Interrompida traz uma das obras mais encenadas do mundo na versão do americano Joe Calarco, que foi sucesso no circuito londrino e no off-Broadway nos anos 90. No Brasil, o texto é dirigido por João Fonseca e após grande temporada no Rio de Janeiro e marcar presença diversas vezes entre as 10 melhores peças em cartaz, ganhou o prêmio APTR de Melhor Produção e fica por mais duas semanas em São Paulo.

Lousas penduradas pelas paredes do teatro e cadeiras de sala de aula típicas de um reformatório criam o ambiente, apresentado na primeira cena pelo quarteto de jovens a proferir em unisono frases e ideias impostas pelo colégio católico tão estrito quanto seus uniformes. Passado o entendimento do cenário, os amigos estudantes informam a si mesmos assim como aos espectadores que é chegada “A Hora Noturna”, o momento de diversão do dia, em que decidem encenar Romeu & Julieta.

O paralelo da encenação desses jovens dentro de um quarto e sua interpretação dos personagens shakespearianos proporciona um ritmo dinâmico e faz desta uma versão mais inovadora e moderna da obra. A originalidade também está presente na trilha sonora, que vai de Beatles e Queen até referências a Daniela Mercury, como parte das tiradas cômicas, bem presentes durante a peça e que intercaladas com momentos mais dramáticos servem perfeitamente para o público atual, principalmente para o acostumado apenas com o “teatro-espetáculo”.

Com o decorrer da peça e a intensidade da obra clássica aumentando, as transições entre os estudantes e Romeu & Julieta se tornam cada vez menos constantes e os atores passam a revezar seus papeis com menos intermediações. Nessa difícil missão, Pablo Sanábio, por exemplo, dá vida a ama de Julieta, o Frei e Teobaldo, fazendo mudanças de personalidade, tom e até mesmo gênero, em um mínimo espaço de tempo. João Gabriel Vasconcellos, Felipe Lima e Geraldo Rodrigues (indefinidamente no lugar de Rodrigo Pandolfo) completam o elenco que dá gosto de ver em sua sincera e apaixonada interpretação. Não à toa, estão juntos nessa empreitada rodando o Brasil há mais de um ano.

Depois de se apresentar no Sesc Belenzinho, o fim da temporada já está aí e no próximo dia 29, R & J – Juventude Interrompida se despede de São Paulo. Portanto, é melhor se programar logo para não perder a tragicomédia inesquecível criada pela junção de Joe Calarco, João Fonseca e quatro jovens, talentosos e promissores atores que é apresentada humildemente em um dos teatros mais aconchegantes e conhecidos pela classe artística, o Espaço Os Fofos Encenam.

6 comentários

  1. buááá
    você me deixou seco de vontade de ver, mas os ingressos já esgotaram!

    1. Tem certeza? Ontem eu cheguei 15 minutos antes e deu pra comprar tranquilamente. Não tem cadeira marcada, o que facilita também. Dá uma conferida Mike, vale muito a pena!

      1. vou tentar então! entrei no site do SESC pra comprar, só aparece uma tarja vermelha escrita “esgotado” e nem habilita a opção de comprar ingresso.

      2. Maiara Tissi · ·

        Ahhh simm hehehe É porque não está mais no SESC, está no Espaço Os Fofos Encenam, aqui do lado da Brigadeiro Luís Antonio. =)

      3. liguei lá, vai até o fim de abril, mas o sistema ta fora do ar então não posso comprar! rs mas vou esse fim de semana de qualquer forma, valeu pela dica!

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: