Crítica: Namorados Para Sempre

Crítica escrita para o site Lérias & Lixos e publicada no dia 21 de junho de 2011.

Apesar do título, Namorados Para Sempre é o último filme que um casal gostaria de assistir em um encontro romântico. Qualquer um que espere uma comédia mamão com açúcar ou um filminho fofo ficará no mínimo chocado. A trama do desconhecido diretor Derek Cianfrance trata de amor, mas de um jeito nada usual. Enquanto muitas histórias terminam no “felizes para sempre” – principalmente nessa  época do ano, este vai alguns anos além e mostra o amor avassalador quando nasce, mas também quando morre, sem ninguém para ser culpado, nenhum vilão, nenhum devastador acontecimento, além do tempo.

Os personagens de Ryan Gosling e Michelle Williams têm uma filha pequena e vivem uma crise no casamento. Ao mesmo tempo em que o espectador presencia a vida do casal ficar cada vez mais difícil, em constantes flashbacks é apresentado o início da relação, como se conheceram e como se apaixonaram. O roteiro traz à tona a triste realidade do amor finito. Embora tudo seja bonito e romantico no começo, o final pode não ser como o idealizado.

Segundo longa de Derek Cianfrance, Namorados Para Sempre inicialmente foi programado para ser filmado em 2008, mas devido à morte do ator Heath Ledger, marido de Michelle Williams, Derek preferiu adiar as gravações a escalar outra atriz. Essa decisão é apenas um dos fatores que são apenas permitidos quando não há o envolvimento de um grande estúdio na produção do filme (os estúdios produtores do longa são Hunting Lane Films e Silverwood Films). Escolher os lugares de locação conforme a disponibilidade dos atores, nada de ensaios, improvisações livres e muitas cenas concluídas com apenas um take foram outros “luxos” de Cianfrance. “Luxos” muito merecidos, afinal, a estrada foi longa. Michelle Williams leu o roteiro pela primeira vez quando tinha 21 anos. No início das filmagens Michelle já tinha 27. É o que normalmente acontece quando grande parte do orçamento sai diretamente do bolso dos criadores, a liberdade custa caro.

Mas o diretor e roteirista provou saber fazer boas escolhas. Além de criar um delicado e profundo roteiro e transpassá-lo com tamanha intensidade para as telas, ainda escalou uma dupla de atores com talento e química suficientes para carregar essa história, resultando em um dos poucos filmes realmente bons que se encaixam naquela categoria “alternativo demais para ser Hollywoodiano, Hollywoodiano demais para ser alternativo”.

Namorados Para Sempre é honesto do roteiro até as roupas usadas pelos protagonistas, emprestadas dos armários de seus intérpretes. Para quem quer assistir a um filme verdadeiro e realista nas telonas para dar uma variada, é a melhor pedida. Se a abordagem de Derek Cianfrance te agrada, pode se empolgar porque no segundo semestre deste ano começam as filmagens de seu novo filme, The Place Beyond the Pines, também estrelado por Gosling, que atuará dessa vez ao lado de Bradley Cooper.

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: